ENERI - PORTUGAL

ENERI - PORTUGAL
1º ENCONTRO de ESTUDANTES de RELAÇÕES INTERNACIOANIS

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

"20º Aniversário da Queda do Mudo de Berlim"

Numa colaboração da Universidade Autónoma de Lisboa com a Representação em Portugal da Comissão Europeia, irá realizar-se no próximo dia 2 de Novembro a Conferência "20º Aniversário da Queda do Muro de Berlim", no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian.

Para mais informações, contactem as instituições acima referidas, o Instituto Português de Relações Internacionais ou o sempre vosso NERI

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Conferencia


Mais uma conferência "GI TRANSIÇÕES POLÍTICAS E ECONÓMICAS". Desta vez, o tema é subordinado às acções Russas em território georgiano e as consequências das mesmas.
O orador será o Dr. Armando Marques Guedes, da Universidade Nova de Lisboa.
Dia 28 de Outubro, pelas 18 no auditório do piso 0.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Segunda Feira é dia gordo

Atenção caríssimos e caríssimas,

O NERI tem o prazer de vos anunciar que teremos no nosso ISCSP mais uma grande conferência, também na Segunda Feira dia 26, com um quadro de luxo.
Esta será subordinada ao tema do 64º aniversário das Nações Unidas, onde se vai analisar o trabalho já realizado pela organização e refletir sobre o que será o futuro da mesma.

A palestra terá inicio às 17 horas, no Auditóro do Piso 0 do Instituto.

Os oradores serão a Dra Mafalda Tello (Responsável pela Comunicação para Portugal do Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental), a "nossa" Professora Paula Escarameia (membro da Comissão de Direito Internacional das Nações Unidas) e o grande senhor da nossa instituição, o Professor Doutor Adriano Moreira.
Contamos com a vossa presença.

Parece uma semana asiatica...


Depois da noticia da palestra no Museu do Oriente, o NERI tem o prazer de comunicar-vos que, na próxima Segunda-Feira, dia 26 de Outubro, terá lugar no nosso ISCSP uma conferência com a professora Raquel Freire da Universidade de Coimbra.
O tema é "Assimetrias e Jogos de Poder na Ásia Central: (des)construção de (in)seguranças"

O tema é interessante e actual por isso esperamos uma boa afluência!

Saudações iscspianas

"A Guerra Fria Na Asia Oriental", no Museu do Oriente

Analisar o modo como o sistema que dominou as relações no período compreendido entre 1946 e 1989 se repercutiu nas dinâmicas regionais da chamada Ásia Oriental é o objectivo deste seminário organizado pelo Instituto Português de Relações Internacionais, com o apoio da Fundação Oriente.
Dentro deste objectivo mais vasto, o seminário dará ênfase especial a três conjunturas ou temáticas essenciais: as origens e o desenvolvimento da Guerra Fria na Ásia Oriental; Portugal, a Ásia e a Guerra Fria; o final da Guerra Fria e a Ásia Oriental.
O seminário está estruturado em torno de três painéis distintos, correspondendo cada um deles a uma das temáticas atrás anunciadas. A conferência de abertura será proferida pelo Professor Jeffrey Engel da University of Texas A&M, autor do livro The China diary of George H.W. Bush: the making of a global president, publicado em 2008.

O seminário será no dia 27 de Outubro e os interessados devem fazer a sua inscrição on-line. A entrada custa €25, mas atenção: estudantes terão 50% de desconto!
Para mais informações sobre o programa do seminário e inscrições, usem o link do titulo.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Visitas de estudo a Bruxelas

Grupo PPE no Comité das Regiões promove visita de estudo em Bruxelas
Candidaturas até 25 de Outubro de 2009


Na sequência de iniciativa similar promovida em 2008, o grupo do PPE no Comité das Regiões receberá entre 25 a 30 estudantes provindos de diversos Estados-Membros da União Europeia para uma visita de estudo a Bruxelas nos dias 2 a 4 de Dezembro.
De Portugal podem ser seleccionados 1 ou 2 participantes.
A visita destina-se a estudantes universitários que se debrucem sobre temas europeus.
O Comité das Regiões cobre as despesas de transporte e alojamento por duas noites. A língua de trabalho será o inglês.
Os interessados deverão candidatar-se até 25 de Outubro através do site: www.epp.cor.europa.eu
Ver comvite aqui

Centenário da República

No âmbito das Comemorações do Centenário da República, a FCSH tem o prazer
de apresentar o Ciclo de Encontros Temáticos “Pensar a República 1910-2010”,
bem como o seu primeiro Colóquio, “A I República e a Educação”, que terá
lugar no dia 3 de Novembro de 2009.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Relatório de Desenvolvimento Humano de 2009 - Ultrapassar Barreiras: Mobilidade e desenvolvimento humanos

Relatório da ONU pede amplas reformas tendo em vista tirar máximo partido das migrações
Segunda, 05 de Outubro de 2009
As migrações beneficiam as pessoas que se deslocam, as comunidades que as acolhem e aqueles que ficam no país de origem, afirma o último Relatório do Desenvolvimento Humano, que apela a amplas reformas destinadas a maximizar esses benefícios e a proteger os direitos dos migrantes - actualmente, cerca de um em cada sete seres humanos.

O relatório, elaborado por peritos independentes e encomendado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), propõe reformas das políticas de migração dos países de origem e de destino, afirmando que essas reformas são politicamente viáveis e que aumentarão a liberdade das pessoas, contribuindo para um maior desenvolvimento humano.

"As migrações, tanto internas como transfronteiriças, trazem benefícios significativos para todas as pessoas e seria possível reforçar esses benefícios com melhores políticas no plano interno e no estrangeiro", disse Jeni Klugman, principal autora do relatório, que foi lançado no mundo inteiro e cujo tema é a migração.

Segundo o relatório, há quase mil milhões de migrantes, a grande maioria dos quais – 740 milhões – se desloca dentro dos seus próprios países. Menos de três em cada dez migrantes transnacionais deslocam-se de um país em desenvolvimento para um país rico.

O relatório considera que os factos contradizem opiniões bastante generalizadas sobre o impacto económico dos migrantes, demonstrando que estes contribuem, normalmente, para o aumento da produção económica das comunidades em que se inserem, dão mais do que recebem e têm um impacto muito reduzido nas finanças públicas.

A imigração tende a impulsionar o emprego nas comunidades de acolhimento e ajuda a aumentar as taxas de investimento em novas empresas, para além de aumentar a diversidade social e a capacidade de inovação.

Os países de origem também beneficiam com a migração, graças às remessas, tanto monetárias como sociais, que se traduzem em diminuições das taxas de fecundidade, no aumento das taxas de escolarização e no empoderamento das mulheres. Por outro lado, o êxodo de trabalhadores altamente qualificados, tais como médicos, enfermeiros e professores, é mais um sintoma do que uma causa do estado de ruptura em que se encontram os sistemas públicos desses países.

Os próprios migrantes também beneficiam enormemente. Alguns estudos revelam que o rendimento das cidadãos dos países mais pobres aumenta 15 vezes quando emigram para um país desenvolvido. As taxas de escolarização duplicam e as taxas de mortalidade infantil diminuem acentuadamente.

Embora não defenda a liberalização total das migrações internacionais, o relatório faz notar que as populações dos países industrializados estão a envelhecer e que as suas sociedades necessitarão cada vez mais dos trabalhadores migrantes, especialmente nos sectores que exigem menos qualificações.

As condições de acesso existentes para trabalhadores migrantes devem, portanto, ser alargadas, diz o relatório, e devem reduzir-se as restrições à migração interna.

A redução dos custos de transacção das vias de migração legais também tornará menos atraentes as opções ilegais, ajudando a regularizar o fluxo de pessoas de um país para outro, diz o relatório.

Por outro lado, o relatório apela às comunidades de destino, para que adoptem medidas tendentes a assegurar que os migrantes gozem de direitos humanos fundamentais, especialmente no que se refere ao acesso aos serviços de saúde e à educação, e que não tenham de suportar atitudes de discriminação e xenofobia generalizadas.

Os países de origem também devem considerar as migrações como uma componente específica das suas estratégias de desenvolvimento. Por outro lado, pede-se às comunidades de destino e aos migrantes que trabalhem mais, em conjunto, com vista a encontrar soluções para os seus problemas.

O relatório observa que, segundo sondagens efectuadas, os habitantes dos países de destino aceitam geralmente um aumento da imigração, quando existem empregos disponíveis e quando valorizam os benefícios económicos, sociais e culturais decorrentes da maior diversidade da população.

Jeni Klugman adverte do perigo de uma "reacção proteccionista", dizendo que a actual crise económica levou alguns países a exercer pressão sobre os migrantes, para que regressem aos seus países, ou a reduzir a entrada de novos migrantes.

Prosseguindo, disse que, de qualquer modo, as pessoas irão continuar a tentar deslocar-se, a fim de colherem os benefícios económicos que daí advêm e que a experiência de certos países revela que a liberalização das leis e políticas em matéria de migração resulta, efectivamente.


(Baseado numa notícia divulgada pelo Centro de Notícias da ONU a 5/10/2009)

'Portugal não é um país pequeno'

O NERI informa os nossos leitores do Ciclo de Seminários: «'Portugal não é um país pequeno': O fim do império colonial português e a cena internacional», 5ª feira, ISCTE.


quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Boletim de Relações Internacionais

Deixamos aqui para vocês, o nº8 do Boletim de Relações Internacionais Julho/Agosto.
A informação pode ser acedida como de costume por megaupload

http://www.megaupload.com/?d=FD7FS54O

IPRIS

Caros leitores,

A partir deste momento o NERI vai começar a deixar no blog o jornal ocasional do Instituto Português de Relações Internacionais e Segurança (IPRIS).

Como o nome sugere, o IPRIS é uma organização que se dedica ao estudo de questões relacionadas com as relações internacionias e segurança, especialmente nos temas que dizem respeito a Portugal. É uma ONG sediada em Lisboa, que, ocasionalmente, promove conferências e publicações acerca das suas investigações. Para saberem mais sobre o IPRIS deixamos aqui o link para o site do Instituto: http://www.ipris.org/.

Deixamos aqui a mais recente publicação do IPRIS para download através do Megaupload. Para acederem a antigas publicações, contactem o NERI.

http://www.megaupload.com/?d=HAVYOF8H

NOTICIAS DO INSTITUO DE DEFESA NACIONAL


Porque a segurança e a defesa nacional foram, são e sempre serão um tema de grande importância para os alunos de Relações Internacionais, deixamos-lhes aqui algumas sugestões enviadas pelo Instituto de Defesa Nacional. O NERI dá especial destaque ao Curso Intensivo de Segurança e Defesa.